Tudo sobre intercâmbio, viagens, cultura e idiomas pela EF Education First.
Menu

3 maneiras de enganar o cérebro para aprender um novo idioma

3 maneiras de enganar o cérebro para aprender um novo idioma

Aprender um novo idioma é incrivelmente gratificante e divertido, mas há momentos em que nossos cérebros parecem estar trabalhando contra nós.

Como alguém que aprendeu a falar quatro novos idiomas do zero, eu sei que existem medidas concretas que você pode tomar para superar uma crise e turbinar seu aprendizado.

Aqui estão minhas três principais maneiras de enganar seu cérebro para aprender um novo idioma mais rapidamente:

1. Crie um senso de urgência

Uma queixa comum ao aprender um novo idioma? Falta de tempo.

Depois de um dia inteiro no trabalho ou na escola, expondo seu cérebro a grandes quantidades de informações, ele pode se recusar a estudar um novo idioma a todo custo por uma razão simples – ele não quer gastar energia extra!

Então, como você revida?

Participe de uma aula real com seres humanos

Qualquer classe. Uma aula on-line, presencial ou um workshop de sábado. O objetivo é que alguém o mantenha responsável. O compromisso de aparecer com outras pessoas, especialmente com uma turma e um professor, fornecerá um nível saudável de pressão.

Acompanhe seu progresso … e compartilhe

Você já pensou em se gravar em áudio ou vídeo para acompanhar seu progresso? Que tal compartilhar seu último ensaio, sua última carta ou suas expressões favoritas nas mídias sociais? Há uma enorme comunidade de aprendizado de idiomas no Twitter e vários grupos do Facebook que o manterão ativo.

Não dê ao seu cérebro chance de escapar do seu idioma alvo

Ouvir música a caminho da escola ou do trabalho, assistir filmes ou programas da Netflix nos fins de semana, ler uma revista durante o café da manhã ou postar nas mídias sociais em seu idioma alvo são ótimas maneiras de começar a se tornar real com o seu aprendizado.

Você pode até rotular objetos pela casa com post-its no idioma que está aprendendo. Dessa forma, você é exposto a um novo vocabulário o dia inteiro. O objetivo é enviar ao seu cérebro a mensagem de que você deve usar esse idioma … porque está ao seu redor.

2. Torne seu aprendizado o mais pessoal possível

Nossos cérebros tendem a esquecer as coisas que não precisamos. Ou coisas que achamos desinteressantes. De fato, a maioria de nós reclama de ter uma memória ruim e não se lembra de um novo vocabulário, por exemplo, mas é natural, dada a quantidade de informações que nossos cérebros são bombardeados todos os dias.

Sua missão? Enganar seu cérebro a acreditar que essas palavras estrangeiras é significativo, necessário e pessoal.

Use suas próprias fotos

Da próxima vez que você criar um cartão de memória para a palavra “cachorro” em espanhol, francês ou alemão, saiba que é mais provável que seu cérebro se lembre da palavra se você tirar uma foto do seu pet e usá-la como a face do cartão de memória, em vez de usar a tradução equivalente em inglês, por exemplo.

E é fácil fazer isso no seu smartphone – instale um aplicativo de cartão de memória gratuito, como o Quizlet ou o AnkiApp, e faça o upload de suas próprias fotos.

Escolha expressões-chave sobre listas

Em vez de memorizar listas de vocabulário, escolha palavras que sejam relevantes para suas próprias experiências de vida, rotinas e relacionamentos.

Por exemplo, é comum aprender palavras para trabalhos diferentes quando você começa a aprender um novo idioma. Em vez de memorizar listas intermináveis ​​de cargos, comece com os seus próprios trabalhos, do seu parceiro, dos seus pais ou do seu melhor amigo! É muito mais provável que você use o que aprendeu e, portanto, lembre-se disso por mais tempo.

Escreva sobre você o mais rápido possível

Use um novo vocabulário para falar sobre sua própria vida e explicar seus sentimentos, opiniões e história pessoal, em vez de seguir exemplos genéricos de livros didáticos. O que você vê nos livros didáticos é o ponto de partida para o seu aprendizado, não o ponto final – o ponto final está usando realmente o idioma na vida real e de uma maneira natural e útil.

3. Aprenda a repetir de uma maneira que realmente funcione

Algumas pessoas podem lembrar-se vividamente de tabelas inteiras de verbos em inglês ou espanhol que aprenderam no ensino médio. No entanto, peça a essas pessoas para conjugá-las, usá-las no contexto ou aplicá-las enquanto conta uma história … e você entenderá por que repetir por repetir nem sempre é o melhor caminho a seguir.

Embora o aprendizado através da repetição tenha seus próprios benefícios, o segredo não está aí. O segredo é repetir efetivamente.

Familiarize-se com a repetição espaçada

Em seu livro Fluent Forever: Como aprender qualquer idioma e nunca o esquecer, o poliglota Gabriel Wyner nos apresenta a técnica de repetição espaçada para aprender um segundo idioma. Em vez de abarrotar e nunca mais voltar a olhar para o seu material, o objetivo é repetir o vocabulário de tempos em tempos, por um período mais longo e com intervalos mais longos.

O objetivo é expor seu cérebro ao idioma alvo exatamente quando ele está prestes a esquecê-lo. Como Wyner diz: “Em um período de quatro meses, praticando por 30 minutos por dia, você pode esperar aprender e reter 3600 flashcards com precisão de 90 a 95%”. Conte pra gente depois!

Seja mais visual

Lembra-se do que dissemos anteriormente sobre como personalizar seu aprendizado usando suas próprias fotos em cartões de memória flash?

Não apenas o uso de suas próprias imagens ajuda seu cérebro a memorizar melhor as coisas, mas o simples gesto de procurar uma palavra estrangeira no Google Images e salvar uma das imagens no seu telefone para usá-la como um cartão de memória pode realmente ajudar na memorização. Tente usar seus próprios cartões personalizados com imagens divertidas, lugares que você conhece, férias em família ou rostos de pessoas queridas. Você irá se lembrar melhor depois de algumas repetições do que usar apenas palavras!

Repita e aplique o que aprendeu imediatamente

Recordar listas inteiras de verbos não é o mesmo que saber aplicá-los, e nosso cérebro provavelmente se lembrará de coisas depois de colocadas em uso nas conversas da vida real.

A aplicação do que você aprendeu conversando com um professor, um colega de classe ou um grupo é crucial, pois a recompensa externa mantém nosso aprendizado. Você também pode praticar escrevendo a mesma palavra em pelo menos dez frases diferentes assim que aprendê-la – repeti-la no contexto não apenas ajudará a lembrar, mas também ajudará a entender o que você acabou de aprender.

Aprenda um novo idioma no exterior!Saiba mais!

Compartilhe esse artigo

Artigos recentes de Idiomas