Tudo sobre intercâmbio, viagens, cultura e idiomas pela EF Education First.
Menu

Viagem sustentável – um guia para iniciantes

Viagem

Viajar nos ensina a apreciar o mundo e a maravilhosa variedade nele, mas também pode ser muito poluente. Todos nós precisamos reduzir nossas emissões de carbono e cuidar melhor do planeta para garantir que não causemos danos irreparáveis à nossa única casa. Você não precisa cancelar todas as suas aventuras internacionais, mas da próxima vez que estiver planejando uma viagem, desafiamos você a experimentar nossas principais dicas para uma viagem sustentável.

1. Escolha seu modo de transporte

Vamos começar com o óbvio: seja inteligente sobre como você escolhe viajar. Claramente, voar é mais rápido, mais conveniente e às vezes até mais barato do que pegar o trem, mas também bombeia muito mais dióxido de carbono (o que contribui para as mudanças climáticas) e óxidos nitrosos tóxicos, do que nosso velho amigo, a locomotiva.

Você pode chegar praticamente a qualquer lugar hoje em dia de trem, então troque seu voo por uma viagem ferroviária panorâmica. Em regiões como a Europa, onde as redes ferroviárias são extensas e rápidas, os trens elétricos são uma excelente opção de baixo carbono – especialmente na França, que usa a energia nuclear para gerar cerca de 75% de sua eletricidade, produzindo muito menos emissões do que os combustíveis fósseis.

Compare suas opções de viagem usando a calculadora de emissões do EcoPassenger, e você poderá ver quanto carbono economizaria pegando o trem.

2. Desligue seu carbono

Nem todos nós somos capazes de seguir os passos marítimos da ativista climática Greta Thunberg, que optou por navegar pelo Atlântico em vez de voar para os EUA: às vezes, voar é a nossa única opção. É aqui que entra a compensação de carbono. A compensação envolve calcular quanto dióxido de carbono sua jornada produziria e pagar um esquema em outro lugar para absorver ou reduzir o carbono equivalente na atmosfera, “equilibrando” assim a emissão de carbono.

A FlyGRN pode ajudá-lo a calcular emissões, encontrar rotas de voo de menor carbono e pode ‘compensar’ seu carbono. Outros esquemas de compensação incluem projetos de energia renovável certificados pelo Gold Standard e programas de reflorestamento executados pela Mossy Earth, que enviará uma foto das árvores que você estará ajudando a plantar.

É importante lembrar que não há uma maneira perfeita de calcular suas emissões exatas. Além disso, com muitos esquemas de compensação, especialmente aqueles que plantam árvores, o “equilíbrio” real do carbono não ocorre até 20 anos depois, quando as árvores cresceram completamente. Ainda é uma coisa boa de fazer, mas, geralmente, é melhor limitar suas emissões em primeiro lugar.

3. Envolva-se com as comunidades da maneira certa

Ser sustentável não é apenas reduzir sua emissão de carbono, é também ajudar as comunidades que você visita a construir um futuro sustentável. Você pode fazer isso ficando com famílias anfitriãs se estudar no exterior, comprando lembranças feitas por artistas e criadores locais em vez de importadas e optando por fazer compras em mercados locais em vez de supermercados internacionais. Dessa forma, o dinheiro que você gasta permanece na comunidade local, onde aumenta sua economia e apoia seu crescimento.

“Viagens lentas, a arte de visitar um ou dois lugares por um longo período de tempo, em vez de correr para descobrir muitos lugares de uma só vez, é uma maneira brilhante de viajar um pouco mais sustentável.”

4. Cuidado com a vida selvagem

É perturbador saber isso, mas muitas experiências populares de viagem à vida selvagem podem ter efeitos muito negativos nos animais envolvidos. A EF Education First, por exemplo, é a primeira empresa de viagens educacionais a se comprometer a tornar suas viagens amigáveis à vida selvagem, fazendo parceria com a World Animal Protection e implementando novas diretrizes de bem-estar animal em toda a empresa.

Isso significa que as viagens não incluirão mais atividades que não cuidam adequadamente da vida selvagem, como experiências inadequadas de passeios de elefantes ou experiências de natação com um golfinho, que muitas vezes vêm com uma camada oculta de crueldade animal. Em vez disso, a educação, as interações human-animal positivas e o turismo de vida selvagem ecológico serão um foco fundamental e farão com que sua viagem seja mais sustentável.

5. Viaje devagar

Viagens lentas, a arte de visitar um ou dois lugares por um longo período de tempo, em vez de correr para descobrir muitos lugares de uma só vez, é uma maneira brilhante de viajar um pouco mais sustentável. Ao explorar no ritmo de um caracol, você não só fará menos voos e viagens que bombeiam gases de efeito estufa, mas também se envolverá com as comunidades e cidades que visita em um nível muito mais profundo, tornando melhor tanto para o planeta quanto para você. Não somos tendenciosos, mas estudar um idioma no exterior também conta totalmente como viagens lentas.

6. Coma inteligente

Existem duas regras para compras sustentáveis de alimentos: compre localmente e compre sazonalmente. Apoie os agricultores próximos comendo seus produtos e compre o que for natural na temporada: esses itens terão menos emissões de transporte, pois não vieram do exterior. Tentar não comer carne também pode ajudar a manter sua emissão de carbono pessoal baixa, já que a indústria agrícola é um enorme produtor de gases de efeito estufa. Você não precisa ser completamente vegano ou vegetariano, mas reduzir seu consumo de produtos de origem animal é uma maneira fácil de fazer uma diferença muito grande.

7. Reduza seus plásticos para uma viagem sustentável

Apenas algumas mudanças simples em sua rotina podem ajudá-lo a reduzir bastante seu desperdício de plástico e tornar sua viagem mais sustentável. O mais fácil e rápido é investir em uma garrafa de água de alumínio reutilizável: por apenas alguns dólares, você nunca mais precisará comprar uma garrafa de plástico de uso único e pode usar aplicativos como Refill e Tap para encontrar o ponto de recarga de água gratuito mais próximo. Você também pode refrescar sua necessaire com barras de desodorante naturais (um pouco estranhas no início, mas ótimas) e xampu sólido, condicionador e barras de sabão, em vez de latas de aerossol não recicláveis.

8. O que tem na sua bolsa?

Todos nós gostamos de comprar roupas que “precisamos” antes de viajarmos, mas você sabe o custo ambiental de suas roupas? A indústria da moda rápida (ou seja, todas as lojas de rua que você ama) é responsável por uma enorme quantidade de gases de efeito estufa, algumas fontes dizem até 10% das emissões de carbono do mundo, e causou poluição generalizada dos rios graças ao tingimento de tecidos insustentáveis e às práticas agrícolas não orgânicas da cultura do algodão.

Entretanto, existem algumas maneiras fáceis de tornar seu guarda-roupa um pouco mais verde e deixar sua viagem mais sustentável. Confira lojas vintage e lojas de caridade de itens de segunda mão para que você não precise alimentar a besta de ‘roupas novas’, e compre novos itens de varejistas sustentáveis como Rapanui, que usam apenas algodão orgânico e corantes de baixo desperdício, e Econyl, que fazem suas roupas de banho a partir de plásticos reciclados. Além disso, não carregue muitos itens! Quanto mais bagagem você trouxer em um avião ou trem, mais combustível ele precisará fazer.

9. Seja exigente sobre onde você fica

Ao planejar suas férias, é fácil ser seduzido pelas fotos brilhantes de hotéis sofisticados com tudo incluído. Todavia, lugares como esse muitas vezes têm um enorme uso de água graças às quantidades surpreendentes de lavanderia necessárias para os lençóis e toalhas, muitas embalagens plásticas do “minis” banheiros e muitas vezes também são de propriedade internacional, o que significa que muitos de seus lucros saem do país em vez de serem reinvestidos na comunidade local.

Em vez disso, pesquise pousadas menores de propriedade local ou hotéis boutique. Procure os logotipos da Rainforest Alliance ou do Global Sustainable Tourism Council em seus sites: é fácil para um hotel dizer que eles são sustentáveis, mas ter essas certificações de terceiros garante que elas sejam o verdadeiro negócio. As acomodações terão que provar que estão adotando muitas práticas sustentáveis, desde minimizar seus resíduos e impacto no meio ambiente local até celebrar o patrimônio cultural da região e apoiar iniciativas de conservação para proteger a vida selvagem local.

Se você está ficando em algum lugar por mais tempo – trabalhando ou estudando um idioma, por exemplo – considere morar com uma família anfitriã ou em uma residência compartilhada – isso garante que você esteja usando os recursos existentes e compartilhando-os com mais pessoas, contribuindo assim para que sua viagem seja sustentável.

Faça uma viagem mais sustentável com a EF :)Saiba Mais