Tudo sobre intercâmbio, viagens, cultura e idiomas pela EF Education First.
Menu

10 coisas que você precisa saber sobre o St. Patrick’s Day

10 coisas que você precisa saber sobre o St. Patrick’s Day

No dia 17 de março, todo mundo é um pouco irlandês. Mesmo que o dia de São Patrício seja feriado em apenas alguns lugares como na República da Irlanda, Irlanda do Norte, Terra Nova, Labrador e Montserrat – Irishness, o St Patrick’s Day é comemorado em todo o mundo.
Selecionamos 10 fatos interessantes sobre o St Patrick’s Day para ajudá-lo a trazer à tona o Irlandês que existe em você.

1. Era uma vez

St. Patrick é um dos mais famosos santos padroeiros da Irlanda: De acordo com a lenda, ele trouxe o cristianismo para a ilha, fez o trevo virar moda e libertou Irlanda das cobras. O feriado marca a morte de St. Patrick e tem sido comemorado como um feriado religioso na Irlanda por mais de 1500 anos.

2. “Cheers” para o feriado – oficialmente!

A Irlanda só começou a comemorar oficialmente o dia em 1903. O dia de São Patrício geralmente cai na época da Quaresma, que antigamente, costumava ser um feriado tranquilo e religioso – até os anos 1960, quando a lei permitiu que os bares e pubs abrissem no dia da comemoração. Aí o cenário mudou um pouco! 😉

3. O santo padroeiro da Irlanda não era irlandês?

St. Patrick não é, na verdade, um irlandês chamado Patrick: Nascido em Maewyn Succat, o santo padroeiro da Irlanda era realmente britânico. De acordo com a lenda, ele foi vendido como escravo na Irlanda, quando ele era um adolescente, tornou-se religioso, escapou e voltou para a Inglaterra, tornou-se um sacerdote chamado Patrick e começou a converter todos os celtas irlandeses pagãos ao Cristianismo.

4. A libertação das cobras

De acordo com a lenda, St. Patrick foi libertado da Irlanda por cobras. Segundo os biólogos, nunca houve qualquer cobra na Irlanda. A explicação diplomática é que as cobras representam uma metáfora ao paganismo que foi forçou St. Patrick a ir embora.

5. A popularidade dos trevos

Os irlandeses dizem que St. Patrick usava trevos para explicar a Santíssima Trindade (Deus, Filho e Espírito Santo). Os celtas acreditavam que cada folha do trevo tem um significado, portanto, usar as folhas do trevo como material didático foi uma grande ideia: St. Patrick foi à várias igrejas, escolas e mosteiros, fazendo do trevo um item popular.

6. Torne-se verde

É verde, tudo verde – dos cabelo às roupas e até mesmo os alimentos. Nós não estamos falando aqui de espinafre, mas sim de panquecas, e também: a cerveja! Se você puder colocar corante verde em qualquer coisa, ela será servida no St Patrick’s Day. Mas a coloração não para por aí: rios, monumentos e até resorts de esqui tornam-se verdes para comemorar a ocasião.

7. O verde é o novo azul

Mesmo que todo mundo use verde, o próprio Patrick aparentemente preferia usar azul e a prova disso ainda pode ser vista nas bandeiras antigas da Irlanda. Durante 1798, na Rebelião Irlandesa, vestir a cor verde e usar o trevo se tornaram um símbolo do nacionalismo – enquanto São Patrício estava preso.

8. O grande desfile de St Patrick

Além de beber e comer coisas verdes, assistir ou participar de um desfile do dia de São Patrício é a maneira perfeita de comemorar o dia. Curiosamente, as maiores paradas do St Patrick’s Day ocorreram fora da Irlanda – pelo fato das comunidades irlandesas serem espalhadas em todo o mundo.

9. Saúde!

Durante o dia de St Patrick, o consumo mundial da marca de cerveja Guinness quase triplica – de 5,5 milhões de litros em um dia normal para 13 milhões de litros no dia da comemoração. Isso são 150 litros por segundo!! Cheers!

10. Hummmmm

Corned beef e repolho é um prato clássico que vai muito bem com tudo o que tiver cerveja – mesmo que o prato tenha sido “inventado” por imigrantes irlandeses em Nova York. Isso pode explicar o porquê nos EUA, mais de 26 bilhões de quilos de carne e mais de dois bilhões de quilos de repolho são produzidos durante o feriado.

Imagem por: Abraham Gomez, Flickr / Creative Commons

Descubra a Irlanda Saiba mais

Compartilhe esse artigo

Artigos recentes de Cultura