Tudo sobre intercâmbio, viagens, cultura e idiomas pela EF Education First.
Menu

6 razões porque viajar pode tornar você melhor

6 razões porque viajar pode tornar você melhor

Viajar é simplesmente incrível, inspirador e divertido. Por sorte atualmente está cada vez mais fácil passar por esta experiência, já que há opções para todos os gostos e bolsos. O resultado disto é que as pessoas estão viajando cada vez mais. Estima-se que a cada ano, aproximadamente 1.18 bilhões de pessoas viajam para o exterior.

Passar as férias em uma praia sossegada de vez em quando virou até uma recomendação médica. Estudos apontam que certos tipos de viagens (de imersão, desafiadoras e de longa duração), podem literalmente reprogramar nosso cérebro e mudar nossa forma de enxergar o mundo. E como se tudo isso já não bastasse, viajar pode nos tornar pessoas melhores. Confira porque:

1. Desenvolve a empatia

A capacidade de se colocar no lugar do outro, mais conhecida como empatia, é a base para qualquer relacionamento saudável e nos acompanha desde o nascimento. Acontece que, como muitas coisas na vida, isso requer uma prática constante.

Steven Pinker, professor de Psicologia da Universidade de Harvard, explica que a expansão dos meios de comunicação de massa nos últimos dois séculos, eliminou as barreiras geográficas e aproximou pessoas com o mesmos interesses, gerando assim novos relacionamentos dentro de um contexto completamente inédito. Isso explica um aumento significativo do “círculo de empatia”.

No entanto, se por um lado basta ter um smartphone para ter acesso à qualquer tipo de informação, por outro, estamos cada vez mais sobrecarregados e sem foco para nos importarmos com os outros.

Segundo Nicholas Kristof do New York Times, uma viagem nos obriga a sair da zona de conforto para conhecer pessoas em situações do mundo real completamente novas, reforçando assim, nossa capacidade de compreensão.

A empatia está totalmente ligada à viagens e novas descobertas: foi provado que aprender um novo idioma e tornar-se bilíngue, particularmente quando somos mais jovens, faz com que nossos cérebros se acostumem a mudar de perspectivas, aumentando nossa capacidade de empatia.

2. Aumenta nossa compreensão do mundo

Uma viagem torna o incomum familiar, faz a gente repensar velhas crenças tidas como verdades absolutas e rever suposições que geralmente dão cor à nossa visão de mundo.

No meu caso, morar na Tanzânia e trabalhar com crianças de rua, me ajudou a entender não só a cultura de trabalho local (onde o consenso é fundamental na tomada de decisões), mas também a acreditar na recuperação destas crianças que enfrentam violência e rejeição todos os dias.

Essa experiência de imersão, nem sempre glamorosa, fez eu conhecer uma cultura diferente e vivenciar uma realidade totalmente distante da minha, que só tinha acesso quando lia rapidamente o jornal a caminho do trabalho ou quando um amigo falava sobre a experiência que teve em seu último safari . Hoje em dia me sinto completamente familiarizada com as culturas da Tanzânia e da África.

Conhecer e compreender outras pessoas, independente de aceitar ou não suas atitudes, faz com que nossa interação com o mundo seja mais amável e menos crítica.

3. Aumenta nosso autoconhecimento

Ser mais abertos com outros nos ajuda a ser mais abertos com nós mesmos. Um estudo recente mostrou que morar no exterior e refletir sobre nossos próprios valores, à medida que nos deparamos com pessoas e situações diferentes a cada dia, nos torna mais autoconscientes e menos estressados. Embora este estudo tenha sido feito com pessoas que moram no exterior, uma viagem de longa duração que possibilite uma imersão cultural, provavelmente terá o mesmo efeito.

A autoconsciência e uma exposição maior à perspectivas diferentes, aumenta o que os psicólogos chamam de “flexibilidade cognitiva”, ou seja, a capacidade de mudar algo ou de produzir mudanças.

Uma viagem é capaz de tornar nossa mente mais “flexível” já que nos faz rever nossa maneira de agir e de ver as coisas. E como se não bastasse, ao longo deste processo, desenvolvemos algo ainda mais precioso: nossa criatividade.

4. Nos torna mais criativos

Na era de automação e em um mercado de trabalho que irá sofrer transformações profundas nas próximas décadas, a criatividade será um grande diferencial. Também será essencial para a resolução de questões globais complexas e para inovações constantes nos negócios e na ciência.

Estudos realizados por Adam Galinsky, professor da Universidade de Columbia, mostram que executivos que viveram em diversos países, expostos à outras culturas e idiomas, são mais criativos e ousados no trabalho.

Outros estudos realizados na Holanda e em Cingapura, concluíram que pessoas que viajam têm uma capacidade maior de resolver problemas de formas menos convencionais. Em 2012, um estudo feito em Israel, mostrou que pessoas mais resistentes à outras culturas, tiveram um desempenho bem pior em testes de criatividade comparadas as pessoas de mente aberta e mais tolerantes.

5. Aumenta nossa autoconfiança

Atualmente vivemos em uma era de conflitos de opiniões, mentes fechadas e falta de confiança constantes. Enquanto nos países nórdicos como a Finlândia, o nível de confiança nas instituições políticas e nas outras pessoas incluindo até mesmo os imigrantes só aumenta, o mesmo não ocorre em outras partes do mundo como é o caso dos Estados Unidos, onde esta tal confiança diminui a cada dia. E como este sentimento está intimamente ligado à felicidade, não é de se estranhar que a Finlândia ficou em primeiro lugar no Ranking Mundial de Felicidade em 2018 enquanto os Estados Unidos ocuparam a 18 posição. Não tenho dúvidas de que vale a pena investir em confiança.

Uma viagem nos obriga a enfrentar situações desafiadoras e desagradáveis o tempo todo- momentos em que, querendo ou não, temos que confiar em estranhos com culturas completamente diferentes da nossa. Diversos estudos realizados nos EUA e na China, comprovaram esta tese. Além disso, os desafios enfrentados em uma viagem aumentam a confiança em uma escala maior, o que Galisky chama de “fé geral na humanidade”, uma sensação de que “estamos no mesmo barco” e compartilhamos os mesmos interesses e objetivos.

6. Nos torna mais centrados

Há mais um motivo para viajarmos cada vez mais. As viagens estão repletas de momentos que nos tornam mais estáveis emocionalmente. Chegar em um aeroporto desconhecido onde mal conseguimos entender o que está escrito nas placas e mesmo assim ter que nos virar para encontrar o caminho certo, pode ser um tanto desesperador. O mesmo acontece quando temos a coragem de utilizar nossas habilidades linguísticas (ainda básicas) com um taxista parisiense e ele não consegue entender que queremos dizer “Champs-Elysées.

Mas tudo isso faz com que enfrentemos situações inusitadas e superemos desafios.

Uma viagem faz a gente enxergar o lado humano das pessoas e descobrir uma versão melhor de nós mesmos.

Faça um intercâmbio com a EF!Saiba Mais

Compartilhe esse artigo

Artigos recentes de Viagem